Headlines
Published On:quarta-feira, 10 de outubro de 2012
Postado Por José Silva

Robinson Monteiro fala sobre carreira e ministério, e revela detalhes de seu novo álbum, “É só crer”


O cantor Robinson Monteiro está para lançar o CD “É Só Crer”, pela Sony Music, e concedeu uma entrevista, falando sobre o processo de composição e produção.
Nesta entrevista, Monteiro contou também detalhes de seu início de carreira, e falou sobre a tomada de decisão a respeito de abandonar a carreira na música secular e voltar ao gospel.
O novo CD de Robinson Monteiro, o primeiro pela Sony Music, traz onze faixas e contou com a produção de Paulo César Baruk, além de participações especiais de Rodrigo Soeiro e Lito Atalaia, de acordo com informações da assessoria de imprensa da gravadora.
Confira abaixo a entrevista de Robinson Monteiro:
Depois de todo sucesso no meio secular logo após ganhar destaque no programa do Raul Gil você mudou de rumo e iniciou uma carreira de cantor gospel. Como foi essa mudança?
Foi uma decisão muito importante, mesmo conseguindo muito destaque com o CD Anjo, lançado pelo programa eu não me sentia feliz. A verdade é que minha intenção ao me inscrever para participar não era de gravar CD ou ficar famoso.  Eu tinha lançado um CD gospel independente “Prostrei-me” em 1999 e queria divulgar meu Ministério, ser chamado para louvar nas igrejas.   Para vocês terem uma ideia a música que fiz o teste no Raul, foi da Shirley Carvalhaes, “Deus Proverá” que era a minha bagagem musical, eu não era cantor de barzinho, tudo que sabia aprendi na igreja mesmo, enfim, a minha participação no programa  tomou um proporção enorme, que ninguém imaginava, nem eu mesmo, haviam muitas barreiras e preconceito com a música gospel  há 12 anos atrás, era difícil espaço para esse tipo de musical, às vezes tive que cantar no Programa em inglês os louvores porque  eles  não queriam divulgar “música religiosa” como diziam, mas  assinando o contrato e precisando gravar um repertório romântico  me afastei daquele propósito inicial, do meu chamado, em pouco tempo a vendagem do CD foi absurda e fiquei ali preso naquela situação, que me foi favorável claro, vendo que o Brasil todo conheceu  meu trabalho, mas me sentia profundamente infeliz, fiquei depressivo, comecei a ganhar muito peso,  tomar remédio descontroladamente para  emagrecer e acabei indo parar na UTI tetraplégico, no “auge”  daquela loucura toda. Desta forma tive que repensar minha vida, carreira e traçar uma nova trajetória. Todos me acharam louco ao abrir mão “daquilo tudo”, mas no fundo eu me senti livre e verdadeiro comigo mesmo.
E como foi a reação de seu público?
A reação das pessoas não foi como pensei que seria. Eu nunca me pronunciei publicamente sobre os motivos da rescisão do contrato, eu tinha centenas de fã-clubes, de pessoas que viviam atrás de mim em toda parte, mas que não aceitaram a decisão,  recebi muitas ligações me criticando, dizendo para não contar mais com o apoio delas, enfim, foi muito triste, mas no fundo nunca me envaideci com aquilo e estava muito certo do que eu queria. Por um tempo dei aulas de canto, fiquei mais recluso e estes grupos foram de dissolvendo, ou foram seguir outra novidade do mercado secular, até que restaram alguns poucos amigos todos verdadeiramente convertidos ao evangelho através do meu ministério e que entendiam ou melhor torciam para que eu estivesse feliz.
O fato é que ao sair da UTI depois de ficar tetraplégico, sem nenhuma sequela, a gente é forçado a repensar a vida, as escolhas e eu tinha uma dívida de gratidão eterna e sabia que se eu observasse eu veria um significado para aquele milagre.
Depois de 2 anos e meio afastado,  assinei  contrato com a Line Records e lancei o CD “Uma Nova História” que foi um recomeço para mim e hoje caminho com a certeza de que fiz a melhor escolha da minha vida. Faria tudo novamente.
Agora fazendo parte do cast da Sony Music você tem um grande desafio pela frente. Como tem sido esta adaptação a uma nova gravadora?
Sim , sinto uma responsabilidade enorme, mas também sou profundamente grato pela oportunidade de fazer parte desta empresa gigante, depois de tantos anos “Escondido em  Deus” sabe, fui muito bem recebido, tenho o privilégio de contar com excelentes profissionais que fazem toda diferença na qualidade do meu trabalho, é um auxílio enorme para qualquer cantor  contar com uma equipe como esta.
Falando de seu novo CD “É Só Crer”. Conte-nos um pouco mais da produção, repertório.
Este CD está sendo gerado  em meu coração há pelo menos três anos, gravei uma música que compus há 15 anos trás, nem sabia onde eu chegaria e hoje ela faz tamanho sentido em minha vida que é  uma das mensagens principais do álbum. A Sony Music me proporcionou uma  estrutura enorme para produção deste projeto e o privilégio de realizar o sonho de trabalhar com o meu amigo  Paulo Cesár Baruk, era o incentivo que eu precisava para realizar este grandioso projeto, que teve um cuidado todo especial de fazer deste trabalho um projeto que tivesse minha identidade mas que me desafiasse a mostrar novas sonoridades , através de um repertório mais eclético, menos restritivo, que agregasse   e contribuísse para difundir ainda mais meu Ministério.
O CD conta com 11 faixas. Como foi todo o processo de seleção das músicas?
A escolha do repertório  foi um processo bastante  demorado, repensei inúmeras vezes, conversei  muito com o Baruk e com o Maurício Soares (diretor executivo da Sony) porque eu queria fazer algo realmente de bom gosto,  mas que prezasse pelo que tenho vivido e ministrado nas igrejas, é um CD que me deixou muito orgulhoso do resultado, porque realmente nas 11 faixas falo de coisas que me inspiram, que me dão força, que vivo no dia-a-dia com Deus.  Foi um trabalho muito estudado e o resultado ficou fantástico.
A produção por conta do Paulo César Baruk. Foi a primeira vez que vocês trabalharam juntos? Como foi esta experiência?
Nós nos conhecemos há mais de 15 anos, nem havíamos gravado ainda, ele foi um dos primeiros que me convidou para fazer backing vocal para ele, mas nunca tive a oportunidade de fazer um CD com ele. Sempre o admirei como músico, compositor e foi uma experiência maravilhosa, um sonho realizado, o Baruk fez um CD de “amigo verdadeiro” para mim com excelentes arranjos e músicos e muita criatividade, ele é uma pessoa inspiradora, generosa e humilde, a gente se sente bem ao estar perto dele, isso é raridade hoje. 
Você tem participações especiais nesse CD?
Neste CD contei com a participação do Baruk em um dueto na  música “Eu quero viver para ti” um hino de adoração maravilhoso do Rodrigo Soeiro, e também tive a contribuição genial do querido Rapper Lito Atalaia , que gravou na Música Só tu és Senhor, uma das novidades do CD.
A primeira canção a ser divulgada nas rádios é a faixa “Escolha Ser Santo”, fale-nos mais dessa música.
Foi bem difícil escolher a primeira música a ser divulgada, nós tínhamos pelo menos 4 músicas muito  boas mesmo,  optamos por um hino pentecostal  ; a música “Escolha ser Santo” de Júnior  e Josias traz uma mensagem  muito forte sobre o tema do arrebatamento, sobre o compromisso verdadeiro que temos que assumir  com o Evangelho de Jesus de santidade e adoração, espero que possa ser benção para muitos irmãos, jovens de não estarem presos e conformados com as coisas deste mundo mas de  estar atento e preparados para encontrarem-se com Cristo.
Você tem muitas referências musicais? Pode nos contar quais seriam?
Sou um eterno pesquisador de música, com 37 anos tenho orgulho em dizer que continuo estudando canto, técnica vocal, porque ninguém aprendeu tudo o que podia, acho isso vital, me reciclar sempre, por isso tenho como hábito buscar novas referências periodicamente que contribuam com minha musicalidade e me estimulem a aprimorar . Sempre gosteimuito do gospel americano e de cantores consagrados como Cece Winans, Donnie Mcclurkin, Yolanda Adams, David Phelps e ministérios como Avalon, Brooklin Tabernacle,  entre outros, outro fantástico que me deixa extasiado é Smokey Norful .
O que pouca gente sabe é que o que me toca mesmo, são os cantores que me inspiraram a cantar hoje, que são um patrimônio da música no Brasil  como Shirley Carvalhaes, Cassiane, Pr. Paulo César do Grupo Logus , Álvaro Tito, Mattos e Rose Nascimento , são estes amados que viajam comigo no rádio do meu carro de cidade em cidade, me trazem boas lembranças de um tempo em que  o meu sonho era ter condições de comprar seus LPs e hoje posso dizer que tenho o privilégio de os conhecer, isso não tem preço.
Neste CD você contou com uma preparadora vocal. Como foi pra você contar com esse tipo de suporte profissional?
Contei com a excepcional contribuição da Dra. Blacy Gulfier, como Produtora Vocal, uma especialização pouquíssimo conhecida aqui no Brasil, foi um presente de Deus tê-la conhecido,  ficou comigo todo o tempo no estúdio  orientando e dirigindo cada palavra de cada uma das 11 músicas, este tipo de suporte para um cantar é muito valioso, foi um processo de estudo muito intenso, difícil, porque ela é detalhista, exigente e muito profissional ,  tem uma audição apurada e trabalhou cada sonoridade  necessária nas canções, é bem irritante para o cantor ter que li dar com aquela dificuldade escondida, mas esta reflexão  tem o objetivo de nos fazer repensar no tipo de emoção que transmitimos ao cantar para o ouvinte, é algo muito complexo e maravilhoso. Gostei tanto que não abro mão deste tipo de estudo nos meus próximos trabalhos.
E como está sua expectativa pelo lançamento do CD?
Estou muito feliz, e cheio de boas expectativas, já fazem 4 anos que lancei meu último CD e estou  muito ansioso  , mas de certa forma tranquilo porque o trabalho foi feito com tanto carinho e com uma produção tão incrível que só  me resta torcer para que gostem  do resultado.
Com o lançamento você terá uma agenda de divulgação pelo Brasil? Está preparado para enfrentar a maratona de compromissos?
Na verdade o que mais espero é isso mesmo, muito trabalho, pois eu sempre gravava o CD e muitas vezes a divulgação e a pouca distribuição dele acabava fazendo o projeto morrer pelo caminho, mas a Sony neste sentido faz um trabalho maravilhoso e conto com esta oportunidade de poder levar onde eu puder as mensagens deste álbum e o meu Ministério.
Como é apoio de sua família ao seu ministério?
Eu estou cercado de muito amor pela minha esposa e meus filhos, eles participam de cada passo que dou me apoiam em tudo, sem este suporte e amor da minha família seria mais difícil caminhar, eles são a motivação para que eu continue batalhando. Sinto-me pleno e realizado neste sentido.
Como você lida com as redes sociais? É bastante antenado às novidades?
Ultimamente tenho tomado gosto pela internet e redes sociais, o que contribui muito em termos de pesquisa e de proximidade com pessoas que me apoiam e me conhecem, nos mais distantes lugares do mundo, esse contato direto com  o público me dão  a possibilidade de divulgar  meu  trabalho ,estabelecer comunicação com uma enorme quantidade de pessoas  de pensamentos   diversos, as vezes agente tem que respirar fundo , ser tolerante pois sempre tem aquele que passa um pouco do limite, mas lido bem com isso, procuro usar essa ferramentas para divulgar  minha agenda, minhas músicas,  enfim para coisa positivas.
Gostaria de deixar uma mensagem a todos os nossos leitores?
Espero que este CD seja recebido por você que me acompanha a tanto tempo como mensagens de paz , de esperança em Jesus. Que  cada canção possa trazer refrigério, cura e transformação para tua vida e teu lar. Se para você algo parecer perdido, lembre-se:  de que Se você Crer em Jesus, não haverão impossíveis em tua vida , porque só Jesus é capaz de fazer um caído levantar do chão, basta somente  você crer!
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Postado Por José Silva quarta-feira, outubro 10, 2012. em . Faça um comentário, que ficaremos felizes! .

0 comentários for " Robinson Monteiro fala sobre carreira e ministério, e revela detalhes de seu novo álbum, “É só crer” "

Leave a reply

Obrigado pelo comentário!
Que Deus lhe abençõe!

Gostou! Curta-nos