Headlines
Published On:quinta-feira, 1 de novembro de 2012
Postado Por José Silva

Pastor fala sobre a relação entre Deus e as tragédias como o Furacão Sandy


O reverendo Augustus Nicodemus Lopes usou seu blog para comentar sobre os questionamentos comuns diante de tragédias naturais como o Furacão Sandy que já destruiu o Haiti e tem feito um grande estrago nos Estados Unidos.
Nicodemus comenta que diante dessas calamidades muitas pessoas questionam a soberania de Deus, acreditando que um ser bom e justo não permitiria que tantas pessoas sofressem com problemas como este, citando até que o teísmo aberto isenta a culpa de Deus dizendo que Ele não é soberano.
Listando algumas passagens bíblicas, o chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie mostra que Deus criou o dilúvio, que Jesus profetizou a fome, terremotos e epidemias e que o próprio Deus decretou o fim da humanidade por meio do fogo no dia do Juízo Final.
“Em muitos outros casos, as tragédias, catástrofes, doenças e sofrimentos não se devem a um pecado específico, mas fazem parte das misérias temporais que sobrevêm à toda a raça humana por conta do estado de pecado e culpa em geral em que todos nós nos encontramos”, escreve Nicodemus.
O reverendo faz diversas explanações sobre o caso, dizendo até que não devemos considerar que as vítimas fatais dessas tragédias sejam mais pecadoras do que os sobreviventes, mas conclui seu pensamento concordando que o assunto pede respostas que não encontramos na Bíblia e que só serão compreendidas na eternidade.
“Não temos todas as respostas para todas as perguntas que se levantam quando uma tragédia acontece. Não conhecemos a vida das vítimas e nem os propósitos maiores e finais de Deus com aquela tragédia. Só a eternidade o revelará”.
Leia na íntegra aqui.

Postado Por José Silva quinta-feira, novembro 01, 2012. em . Faça um comentário, que ficaremos felizes! .

0 comentários for "Pastor fala sobre a relação entre Deus e as tragédias como o Furacão Sandy "

Leave a reply

Obrigado pelo comentário!
Que Deus lhe abençõe!

Gostou! Curta-nos