Headlines
Published On:quinta-feira, 31 de maio de 2012
Postado Por José Silva

O Valor da Oração


Disse mais o SENHOR a Moisés: Toma substâncias odoríferas, estoraque, ônica e gálbano; estes arômatas com incenso puro, cada um de igual peso; e disto farás incenso, perfume segundo a arte do perfumista, temperado com sal, puro e santo. Êxodo 30:34-35.

Diante desse precioso texto da Palavra de Deus nós nos curvamos diante do Senhor, para admitir que não sabemos orar como convém. Como as nossas orações são inconvenientes diante do nosso Pai celestial. O texto inicial nos chama a atenção para três substancias odoríficas: “estoraque”, “ônica” e “gálbano”. Todas elas são um tipo da verdadeira oração. O que seria um tipo? É o estudo das figuras e símbolos da Bíblia, com os quais Deus procura mostrar, por meio de coisas terrestres as coisas espirituais. Visto a incapacidade da mente humana de compreender as coisas divinas, nos mesmos termos encontramos no Antigo Testamento Deus falando das glórias celestiais através de coisas terrestres, ou seja, TIPOS, ou o que revelam o ANTI-TIPO. Por exemplo, o incenso simboliza o cheiro agradável das orações realizadas e inspiradas pelo Espírito Santo. Vamos ler em Êxodo 30:7-8. Arão queimará sobre o altar incenso aromático; todos os dias de manhã, quando preparar as lâmpadas, o queimará. Quando, ao crepúsculo da tarde, acender as lâmpadas, o queimará; será incenso contínuo perante o SENHOR, pelas vossas gerações.

Todos os dias de manhã! Isso demonstra que todos os dias devemos chegar-se a Deus através da oração e adoração. E somente incenso devemos oferecer a Ele, ou seja, que devemos reservar para Deus um momento de oração em adoração todos os dias. As três substâncias mencionadas acima são fundamentais para entendermos o valor da oração.

Este primeiro ingrediente fala-nos da espontaneidade, visto que o estoraque era uma leve resina que era liberada voluntariamente de uma árvore. Isto faz nos entender que uma verdadeira adoração deve ser espontânea e não forçada, deve partir de um coração grato e não murmurador, deve ser pelo Espírito e não de forma religiosa, deve partir do interior humano e não apenas dos lábios. Vamos ler Salmos 54:6 Oferecer-te-ei voluntariamente sacrifícios; louvarei o teu nome, ó SENHOR, porque é bom.

A ônica era um tipo de molusco encontrado no fundo do mar vermelho, e aqui temos o segundo elemento; “a busca profunda” e isto são muito importantes para uma verdadeira oração e adoração. Assim como a ônica não era obtida na superfície e sim lá no fundo do mar, assim deve ser nossa oração, do mais profundo do nosso ser. Das profundezas clamo a ti, SENHOR. Escuta, Senhor, a minha voz; estejam alertas os teus ouvidos às minhas súplicas. Salmos 130:1-2.

Outro elemento que nos chama a nossa atenção é o galbano. Era produzido de folhas de um arbusto da Síria, que esmagada produzia uma seiva. Devemos oferecer uma oração e uma adoração com um coração quebrantado. O perfume somente se conseguia através do esmagamento das folhas e caules da planta. Assim também é o louvor da nova criatura, pois existem situações que nos mói, nos machuca, nos abate e ficamos como que destruídos, porém, é daqui que vem o profundo e mais puro louvor. Quando assim oramos, louvamos e adoramos, neste momento o perfume se manifesta. Lembre-se que nós somos o bom perfume de Cristo. Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem. Para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas? 2 Coríntios 2:15-16.

Observe o processo que recebe alguns frutos tais como a uva, a laranja, a azeitona, todos tem que ser espremidos a fim de liberar sua essência, assim mesmo acontece com os filhos de Deus, tem momentos que ELE permite que sejamos esmagados para que aprendamos a adorar em meio as provas, pois quando adoramos na bonança é fácil e aqui em nosso gálbano adoramos de forma quebrantada e este é sim um elemento de uma verdadeira adoração que chega como um bom perfume diante Dele. Perto está o SENHOR dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito oprimido. Salmos 34:18.

Irmãos, a exemplo do estoraque as nossas orações precisam fluir de nós voluntariamente, ou seja, devemos ter prazer de orar diariamente. As nossas orações deve ser como a ônica, ela tem que ter profundidade espiritual. E sempre devemos nos apresentar diante do nosso Pai Santo como o gálbano, completamente quebrantados. Pois é somente desta maneira que as nossas orações terão um valor inigualável diante do nosso Pai celestial. Graças ao Senhor que Ele realizou uma salvação perfeita em nossas vidas quando lá na cruz nos atraiu, para nos levar a morrer em Seu Corpo Santo. Ganhamos a Sua vida e o Seu Espírito veio habitar em cada um daqueles que crêem. Portanto, o Espírito que habita em nós, nos auxilia na oração, pois não sabemos orar como convêm. O Espírito Santo pega firme com cada um de nós que cremos no Senhor. Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. Romanos 8:26. 

É de grande valor e necessidade para nós, também uma bênção, quando podemos penetrar e ultrapassar os limites de nossa mente e espírito, no grande palácio de Deus, e conhecermos um pouco mais da sua Pessoa e vontade, bem como, conhecer melhor do sábio construtor, através da revelação e iluminação do Espírito, como escreveu Paulo em Romanos 11:33. Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!

Quão rico é o nosso Senhor! Quantas riquezas insondáveis têm esta Pessoa maravilhosa; o Senhor Jesus! Jesus é o nosso perfume precioso que Deus Pai quer que exalemos para este mundo. Em nosso texto base não é prescrita a quantidade de cada ingrediente, porque as virtudes de Cristo, as belezas e perfeições que se acham concentradas na Sua adorável Pessoa, são ilimitadas. Só a mente infinita de Deus pode medir as perfeições infindas DAQUELE em que habita a plenitude da Divindade; e durante o curso de toda a eternidade essas gloriosas perfeições continuarão a desenrolar-se à vista dos santos e anjos prostrados em adoração. E para que todos nós, homens e mulheres que morreram e ressuscitou com Cristo, foi aberta a entrada do Santo dos Santos permanentemente, por isso, tenhamos intrepidez para se chegar ao trono da graça. Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, Hebreus 10:19-20.

Tudo o que o Pai fez em Cristo Jesus foi por amor a mim e a você. Quanta solidão, vergonha e dor o Mestre ali passou naquela cruz. Tudo por amor foi tudo por amor! Tudo nosso Senhor suportava por nós. Deus de fato mostrou ao mundo inteiro o amor verdadeiro e o quanto nos amou! Irmãos lembrem-se que Deus em Homem se tornou e morreu em nosso favor e foi tudo por amor a nós. Hoje o anseio do nosso Pai celestial é que entremos numa intima e profunda comunhão com o Seu amado Filho. Para isso fomos chamados. Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor. 1 Coríntios 1:9.

A oração consiste em manter comunhão com Deus. A fé nos faz entender que Deus existe, é uma Pessoa real que pode e quer ouvir-nos. Simplificando: orar é falar com o Senhor, expondo nossa gratidão, felicidade, adoração, necessidades e buscando socorro quando necessário. O Espírito de Deus que habita nos corações dos santos deixa-nos continuamente ligado ao Pai, possibilitando-nos falar com Ele a cada instante, independente do lugar onde estejamos. Por exemplo: andando pelas ruas, dirigindo, numa fila de banco, trabalhando, etc. Pode-se orar em voz audível ou apenas em espírito. Experimente e verás que tua comunhão com o Pai se estreitará maravilhosamente. A nossa comunhão é com o Pai e com o Filho. Sem oração não poderá haver comunhão. Ore! O que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo. 1 João 1:3. Que assim seja.

Autor: Claudio Morand

Postado Por José Silva quinta-feira, maio 31, 2012. em . Faça um comentário, que ficaremos felizes! .

0 comentários for "O Valor da Oração"

Leave a reply

Obrigado pelo comentário!
Que Deus lhe abençõe!

Gostou! Curta-nos